Os pés
Portuguese Basque Catalan English French Galician German Italian Spanish

 

 

 

Os nossos pés são o veículo que nos transporta durante a corrida. Calcula-se que numa maratona com a duração de três horas, os pés façam cerca de 10.000 impactos com o solo por cada hora de corrida, o que multiplicado por duas vezes o peso do nosso corpo, pode dar-nos uma ideia do sofrimento do nosso aparelho locomotor.

Das lesões típicas dos corredores de longas distâncias, 60% delas acontecem nos pés e 29% nos joelhos. Estes dados fazem-nos perceber a importância que devemos dar ao seu cuidado e à prevenção das lesões.

As principais causas de lesões devem-se a:

-         Erros relativos ao próprio processo de treino.

-         Deficiências do material utilizado em treino e competições.

-         Erros estruturais.

 

Erros devido ao processo de treino

Os erros mais comuns devido à má condução do treino são os seguintes:

-         O facto dos atletas muitas vezes quererem chegar a uma boa forma demasiado depressa e para isso acelerarem todo o processo de treino, começando a treinar demasiado cedo com um volume e uma intensidade para os quais não estão preparados.

-         O facto de muitos atletas, principalmente quando não têm a orientação de um treinador ou quando têm pouca experiência no atletismo, transformarem os treinos em competições, principalmente nos treinos em conjunto com outros atletas. Isto é um erro porque cada atleta deve treinar ao seu próprio ritmo, sem querer competir com os colegas de treino.

-         Aquecimento e alongamentos musculares defeituosos. É aconselhável que antes do treino os atletas façam no mínimo cerca de 10 minutos de aquecimento e alongamentos musculares, e que no final do treino façam cerca de 20 minutos de alongamentos como forma de recuperação.

-         Estes erros que provocam lesões também podem acontecer em competição, como por exemplo através de inícios de prova demasiado rápidos, aquecimento deficiente e insuficiente, muitas vezes aliado ao facto dos atletas não fazerem uma recuperação após as competições.

 

 

Erros devido aos defeitos do material

 

As sapatilhas são a parte do material que utilizamos na corrida ao qual devemos prestar mais atenção. Há que ter em conta os seguintes factores:

-         Controlo da quilometragem: a vida de umas sapatilhas deve oscilar entre os 800 a 1500 Km.

-         Desgaste da sola: a sapatilha desgasta-se mais no local onde os atletas fazem um apoio mais forte do pé.

-         Sola que se descola: quando as sapatilhas não são de boa qualidade, a sola tem tendência a descolar-se.

-         Endurecimento do material: provoca a perda da capacidade de absorção dos impactos.

-         Deformação das sapatilhas

Erros estruturais
 

Estes erros devem-se principalmente a defeitos no apoio do pé no solo. O apoio do pé no solo quando executtado correctamente, deve ser feito a começar pela parte exterior do calcanhar e o pé deve “rolar” no solo, e perder o contacto pela parte exterior do metatarso, ou seja, imediatamente antes do “dedão”. Essa diagonal identifica um apoio neutro, que normalmente não traz problemas a quem o executa correctamente..
 

Defeitos mais comuns:

    1. Atleta Pronador.
      É o corredor que começa o apoio pela parte interior do  calcanhar.
    2. Atleta Supinador.
      É o corredor que termina o apoio com a parte exterior da planta do pé.
       

 

Nestes dois casos a correcção pode ser feita através da colocação de palmilhas nos sapatos de corrida. Também há no mercado sapatilhas especiais para corredores com estes defeitos do apoio.

 

    1. Pernas de “esquiador”. (É o corredor que junta demasiado os joelhos).
    2. Pernas de “cavaleiro”.  (É o corredor com as pernas demasiado arqueadas).
    3. Assimetria.                  (É o corredor com uma perna maior do que a outra).

 

Também para estes defeitos estruturais, há sapatilhas especiais que podem ajudar na sua solução.

 

 

 

Conselhos para cuidar dos pés

 

Conselhos para antes da corrida

Um atleta que costuma ter  a pele seca deve hidratar o pé com um creme próprio. Uma aplicação após o banho costuma ser suficiente.

Um atleta que sua muito dos pés deve neutralizar os excessos com alguns pós específicos que se aplicam entre o pé e as meias e entre as meias e as sapatilhas.

Deve haver um cuidado muito grande no corte das unhas de forma a evitar arestas que podem ferir os outros dedos. Deve-se limar bem todas as arestas, principalmente de lado no ponto de contacto com os outros dedos.

Se há algum problema específico no pé (pele, articulações, unhas, ligamentos, etc.), é fundamental recorrer a um especialista que ajude a solucionar o problema.

 

Conselhos para o dia da prova

Não se devem experimentar sapatilhas novas, mas sim utilizar as mesmas com que se treina diariamente.

Devem-se utilizar meias de algodão com as costuras para fora.

Devem-se colocar pensos nas zonas de maior fricção, no sentido de evitar o aparecimento de bolhas.

Durante as corridas os principais problemas costumam ser o aparecimento de bolhas, unhas encravadas.

 

Conselhos para depois da prova

Os pés, muito mais do que o resto do corpo, sofreram um grande desgaste e um número enorme de agressões, e por isso os atletas devem dar à recuperação dos pés a mesma atenção que dão à recuperação fisiológica e muscular.